Valle de la Luna e Pedra do Coyote

Valle de la luna

O Valle de la Luna é um dos locais mais visitados de San Pedro do Atacama. Sendo assim, os tours que levam os turistas para esse passeio é o mais procurado e agendá-lo com antecedência é a dica.

O Valle de Luna está localizado bem próximo do centro de San Pedro, mais precisamente a 13km de distância. Está situada na Cordillera de la Sal a cerca de 2.600 metros de altitude. Lá podemos encontrar uma umidade relativa do ar na casa dos 7%, o que faz do Valle o local mais árido do planeta.

Valle de la luna

Valle de la luna (Foto: Natalia Maimoni)

Tours para o Valle de la Luna

Os tours para o Valle de la Luna tem início a partir das 15:00 e sua duração é em média de 5 horas, dependendo da programação da agência de turismo escolhida. Para entrarmos no parque, que leva o mesmo nome, temos de pagar um valor de $2.000 pesos (valor para março de 2016).

O nome dessa atração se dá pelo fato de o terreno encontrado possuir as características do terreno existente na Lua. Declarado santuário da natureza em 1982, o Valle de la Luna é formado por estranhas formações geológicas. A mistura de rochas e muita areia, que formam belas dunas, faz com que sua paisagem se modifique a cada metro caminhado por dentro do parque. Segundo estudos geológicos, há milhares de anos pode ter existido um grande lago ou mar nesse local.

A paisagem que avistamos hoje se deve a uma erosão fluvial ocorrida há milhares de anos atrás em conjunto com o vento. Por isso a existência das mais diversas tonalidades da paisagem, rochas pontiagudas, arredondadas e a figura de um coliseu em grande proporções. Pela sua escassez de umidade não há o desenvolvimento da fauna e da flora nesse local. E ainda acrescentamos o fato de haver muito sal nesse deserto.

Valle de la luna

Valle de la Luna (Foto: Natalia Maimoni)

Valle de la Luna

Ao chegar no parque já começamos a nos surpreender com as belíssimas paisagens. Cruzamos rios secos onde a cor branca do sal nos mostra que houve água naquele local. A vontade é de descer logo do carro para fotografarmos, mas é preciso se deslocar até o ponto inicial do trekking. Por isso esteja preparado para uma boa caminhada. Visite nosso artigo Atacama: dicas importantes.

Conheceremos as surpresas oferecidas pelo Valle de la Luna na base da caminhada, tendo um calor na casa dos 40 graus no verão e com a umidade de 7%. A quantidade de água recomendada para se levar nesse tour é de, no mínimo, 1,5 litro por pessoa. E também o uso de roupas leves e que possam se sujar. É necessário o uso de um calçado confortável e fechado para encarar a areia fofa em algumas situações. Além do vento nas dunas. Além disso, óculos de sol e chapéu ou boné para proteger nosso rosto e cabeça são itens importantíssimos. Caprichar no protetor no solar é outra dica válida.

O trekking começa sobre uma areia muito fofa e o cansaço já bate logo no início. Mas o caminho com esse terreno é curto, pois logo adiante já caminharemos sobre um chão mais firme. Mas muitas subidas estarão nos aguardando. E a cada momento que nos enfiamos parque a dentro as paisagens vão nos surpreendendo. Acredito que as fotos possam falar mais que qualquer palavra ou texto. Difícil é demonstrar com imagens, a imensidão do local.

Depois de chegarmos ao limite do trekking, o caminho de volta será mais tranquilo. E tenha certeza que seu calçado estará com muita, mas muita areia.

Las Tres Marías

Seguimos o passeio na van da agência até um local chamado de Las Tres Marías. Trata-se de formações rochosas causadas pela erosão do sal e do vento do deserto. Essas formações tem como principais componentes o granito, pedras de quartzo e argila. E uma dessas esculturas, a maior delas na verdade, é chamada de Las Tres Marías por ter justamente o formato de três pessoas. Ao redor e ao fundo um imenso deserto de sal completa a paisagem.

Valle de la luna

As 3 Marias (Foto: Natalia Maimoni)

Dali seguimos ao um ponto do Valle de la Luna onde havia uma mina de extração de sal desativada. Ainda é possível ver a ruínas das casas dos mineiros naquele local. A mina em si não possui um grande atrativo. A paisagem ainda continua sendo o mais belo do passeio.

Caminharemos ainda margeando uma espécie de anfiteatro ou coliseu esculpido pela natureza. Aquela paisagem que conseguimos avistar durante o passeio principal ao Valle de la Luna. Vendo aquilo de perto podemos compreender sua imensidão e beleza. Enquadrar tudo aquilo em uma foto sem uma lente grande angular é um trabalho árduo.

Valle de la luna

Anfiteatro (Foto: Natalia Maimoni)

Piedra del Coyote

Ao fim de nossa aventura pelo Valle de la Luna é chegada a hora de ver o por do sol na famosa Piedra del Coyote. Trata-se de um mirante onde podemos avistar abaixo as lindas paisagens lunares e ao horizonte alguns vulcões e o por do sol. Uma belíssima paisagem e um ótimo momento para fechar o passeio com chave de ouro. A Pedra do Coyote é muito concorrida e forma-se uma fila para que possamos nos fotografar no topo dela. Mas outras formações parecidas podem servir de um belo cenário para sua foto também.

Após o por do sol é hora de voltarmos para San Pedro com a certeza de que esse tour é obrigatório para quem viaja ao Atacama, e que cada canto visitado estará sempre em nossa memória. Com certeza um dos locais mais fantásticos do mundo oferecidos pela natureza.

Valle de la luna

Vista desde a Pedra do Coiote (Foto: Natalia Maimoni)

Dicas importantes

– Como todos os passeios que se iniciam a tarde, esteja preparado para o calor intenso. Portanto, é obrigatório o uso de protetor solar. Saiba que você encontrará um sol para cada um nesse deserto.

– A quantidade de água sugerida para levarmos a esse tour é de 1,5 litro por pessoa. E saiba que toda essa quantidade realmente será consumida.

– Como não encontraremos locais para comprar comida, indicamos levar um lanche ou algo que possamos ingerir durante o passeio. Lembrem-se que serão 5 horas ao todo de tour.

– Lembrem-se ainda de estar usando um calçado fechado, de preferência confortável para o trekking em meio a areia. Roupas leves também são necessárias, além de óculos de sol e chapéu ou boné. Um casaco “corta vento” é bem vindo para o momento do por do sol, pois a temperatura começa a diminuir no início da noite.

  • CURTA AQUI NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK E RECEBA AS ATUALIZAÇÕES DIÁRIAS DO SITE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *