O que é Pisco Sour?

Assim como a empanada e o pastel de choclo, o pisco sour é um dos queridinhos do Chile. E motivo de orgulho para todos os chilenos. Mas também é algo que envolve uma grande rivalidade desse país com o Peru pela sua patente. Mas afinal, o que é pisco sour?

O que é Pisco Sour?

Pisco Sour é um delicioso coquetel alcoólico típico da gastronomia sul-americana e que pode ser comparada a nossa caipirinha. A base dessa bebida é o pisco, uma aguardente com graduação alcoólica entre 38 e 48, obtida a partir da destilação do mosto proveniente da uva.

A nomenclatura Pisco Sour surgiu da junção das palavras pisco (a aguardente em si) e sour (referindo-se à família de coquetéis que usam limão como parte de sua receita). Logo, concluímos que essa bebida é feita à base da fruta, assim como a caipirinha. Por esse contexto, a comparação acaba sendo inevitável.

Pisco Sour

Uma autêntica taça de Pisco Sour

Apesar de ser uma bebida adocicada e parecer inofensiva de início, o Pisco Sour é forte. Portanto, vale aquela velha máxima de que ingerir algumas taças desse coquetel achando que nada pode acontecer poderá acarretar em algumas surpresas não muito agradáveis. Mas o que não podemos negar é que a mistura é simplesmente deliciosa.

O pisco puro pode ser misturado a outras bebidas também. Até mesmo com o vinho, para quem não classificar isso como um sacrilégio. Como contamos no artigo 5 bebidas tradicionais do Chile, há um grande consumo no país de Piscola, mistura de pisco com refrigerante à base de cola.

Tanto as garrafas de pisco puro quanto o Pisco Sour pronto são encontrados facilmente nos supermercados do Chile. E esse é um dos souvenirs preferidos pelos brasileiros que provam e aprovam tal bebida. E o melhor: seu preço é muito acessível. Tanto quanto os vinhos chilenos. Você poderá experimentar o coquetel nos restaurantes e bares do país.

Como é feito o Pisco Sour?

Agora que já sabemos o que é Pisco Sour, chegou a hora de sabermos como é feito tal coquetel.

Ingredientes como açúcar, suco de limão, gelo e clara de ovo são incorporados ao pisco para dar vida para a bebida. Tudo é batido em um liquidificador ou em uma coqueteleira. O processo é finalizado com gotas de angostura (líquido amargo feito à base de ervas) na taça que é servido.

É importante salientar que, dependendo da região, a bebida é preparada com uma receita diferente da tradicional. O que sugere algumas variações no resto dos seus ingredientes básicos.

Chile X Peru: a briga pela patente do coquetel

A briga é séria. O que já motivou e continua motivando reuniões e discussões entre os dois governos. Basicamente, ambos defendem que o Pisco Sour foi criado em seu país.

Há uma vertente da história que nos conta que o coquetel nasceu no século 17 no Valle de Ica, próximo a um povoado chamado Pisco, no Peru. Pisco foi fundada em 1640, nas imediações do assentamento indígena de mesmo nome.

Enquanto há quem afirme que seu nascimento se deu quando nenhum dos dois países existiam ainda. Isso teria acontecido em um grande pedaço de terra controlado pelo Império Inca que se estendia do que hoje é o Equador até o centro do Chile.

Para se ter uma ideia, a embaixada do Peru no Chile já chegou a entrar com um processo no Instituto Nacional de Propiedad Intelectual (Inapi) tendo como base essa briga. Esse processo solicitava que a Capel, empresa chilena produtora de pisco, não utilizasse a palavra “pisco” em seus novos produtos.

Para os dois povos, essa discussão vai além do quesito patente. Basta perguntar para cada um deles quem produz o melhor Pisco Sour do mundo. E se essa pergunta for feita durante uma partida de futebol entre as duas seleções, o melhor é sair de fininho porque o clima vai esquentar.

Pisco Sour

Pisco Sour em garrafa encontrado nos supermercados chilenos

Diferenças entre os piscos chileno e peruano

Para o site Wikipedia, o pisco produzido no Chile possui processo de destilação, componentes e grau alcoólico diferentes em relação ao peruano. Para o pisco do Peru, as variedades de uvas utilizadas são as denominadas Quebranta, Uvina, Mollar e Negra para os piscos não aromáticos. Enquanto que Albilla, Itália, Moscatel e Torontel são as variedades utilizadas para os piscos aromáticos.

Uma mistura de diversas uvas é utilizada para o que, em termos gerais, se chama pisco acholado. Uma variedade que se encontra no Peru denominada mosto verde é caracterizada pela destilação dos mostos que não terminaram a fermentação. Já para o pisco chileno, a uva usada é a moscatel, em variedades diversas. E, mais raramente, Pedro Jiménez e torontel.

No Chile, é permitido que eles manipulem o destilado, por exemplo, adicionando mais água para diminuir o teor alcóolico. Já no Peru, do jeito que o pisco foi tirado, eles não mexem mais.

Os chilenos elegeram o dia 15 de maio para comemorar o Dia do Pisco. Essa é a data em que se delimitaram as áreas produtoras da bebida entre as regiões de Atacama e Coquimbo, no norte do país. Já o Peru comemora tal data no primeiro sábado do mês de fevereiro.

Pisco Sour

Chilenos e peruanos duelam sobre a patente do Pisco Sour

Para sermos sinceros, há muitas opções da gastronomia chilena cujo prato teve origem no Peru. Assim como há muitos restaurantes peruanos em Santiago, já que a comida e os chefs de cozinha desse país são conhecidos mundialmente. Assim, podemos imaginar que os peruanos levem certa vantagem na disputa. Mas a verdade é que nada foi resolvido ainda. E nem será, na verdade.

E se você quiser entrar na briga e defender um dos dois países, aproveite para compartilhar com a gente seus comentários.

  • CURTA AQUI NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK E RECEBA AS ATUALIZAÇÕES DIÁRIAS DO SITE

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *