Laguna Cejar, Ojos del Salar e Laguna Tebinquinche

Laguna Cejar

O passeio para a Laguna Cejar, uma lagoa que contém uma alta concentração de sal e faz com que seu corpo flutue sem esforço, é um dos passeios mais curiosos do Atacama. O “slogan” é sempre: “É como nadar no Mar Morto”.

A Laguna Cejar está localizada dentro do Gran Salar de Atacama a cerca de 30km de San Pedro de Atacama. Sua água possui uma cor turquesa e, pelo fato de possuir uma vasta concentração de sal e lítio, faz com que nosso corpo não afunde mesmo que façamos esforço. Diferentemente dos outros passeios, onde você observa as fantásticas paisagens, na Laguna Cejar você consegue entrar em real contato com a natureza.

Tours para a Laguna Cejar

Os tours normalmente saem das agências em San Pedro em torno das 16:00. A intenção desse horário é aproveitar para apreciar o por do sol no fim do passeio. Os preços variam muito de agência por agência. Nós pagamos $20.000 sem os ingressos inclusos.

A primeira parada é na própria Laguna Cejar. Ali você terá que comprar um ingresso de $15.000 (valores para março 2016) para poder utilizar as instalações em volta da Laguna. Essas instalações consistem em banheiros e locais para a troca de roupa. Além de poder tomar um banho de água doce para retirar a enorme quantidade de sal que ficará em seu corpo.

Laguna Cejar

Laguna Cejar – só se pode observar de longe (Foto: Natalia Maimoni)

Laguna Cejar

O complexo que envolve a Laguna Cejar contém três lagunas (na verdade são quatro ao todo de acordo com o mapa do local). O curioso é que a Laguna Cejar, que dá nome ao passeio, não é uma das que você pode se banhar. Ela, na verdade, está protegida ambientalmente e você só conseguirá fotografá-la de uma certa distância. As Lagunas Piedra (compostas por uma grande laguna e outra laguna bem menor) são as quais podemos usufruir. Há ainda a chamada Baltinache que, como a Laguna Cejar, está proibida para banho.

A experiência de nadar nas lagunas é inesquecível. Assim que você olhar para ela duvidará que seu corpo vai flutuar sozinho. Mas assim que você toma coragem de entrar nas águas um pouco geladas, perceberá que sim, é possível. Até quem não sabe nadar pode tirar proveito do passeio, já que não é necessário fazer esforço algum dentro da água.

A indicação de todos os guias é sempre não enfiar a cabeça na água. Seus olhos não vão gostar da alta concentração de sal. Tome cuidado com os lábios ressacados também. A prevenção sempre será o melhor remédio.

Laguna Cejar

Laguna Piedra (Foto: Natalia Maimoni)

Laguna Piedra

A Laguna Piedra maior é a mais concorrida por conta do seu extenso tamanho e por ser mais fácil de entrar. A parte da frente é como uma praia e não contém pedras. Já na parte de trás há pedras que podem machucar seus pés. Por isso é indicado levar um par de chinelos para o passeio.

A Laguna Piedra pequena, localizada bem ao fundo e ao lado direito da maior, é bem menor mas não menos especial. Pelo fato de ser um pouco mais difícil para entrar, as pessoas a evitam. Mas não é nada demais. Tem até umas pedras que parecem uma mini escada para te ajudar a entrar e a sair.

Assim que você sair da laguna e começar a se secar vai reparar na alta concentração de sal que ficará em seu corpo, assim como dito anteriormente. É como uma crosta de sal que ficará grudada em sua pele. Portanto a necessidade de se banhar.

Ojos del Salar

Saindo da Laguna Cejar fomos até os “Ojos del Salar“. Os “ojos” são duas lagunas bem no meio do deserto. Elas se formaram devido a duas perfurações feitas nos anos 70 para buscar petróleo. O petróleo em si não foi encontrado. Encontraram somente um rio proveniente de água da cordilheira que passavam por debaixo da terra. Assim se formaram os “Ojos del Salar”.

Ali também se pode nadar, porém, só tem uma forma de entrar nas lagunas: pulando. E a saída também não é das mais fáceis, tendo que subir por algumas pedras. Um detalhe importante é que essas lagunas não possuem a mesma concentração de sal da Laguna Cejar, sendo somente indicada então para quem sabe nadar. O visual em volta dos Ojos de Salar é maravilhoso. Temos a imensidão do Salar de Atacama a nossa volta.

Laguna Tebinquiche

Saindo dos Ojos del Salar fomos até nossa última parada: a Laguna Tebinquiche. Ali se paga $3.000 pela entrada. É lá que esperamos o por do sol e confraternizamos com o pessoal do tour, com bebidas e aperitivos oferecidos pelas agências. Ótima oportunidade para provar a bebida mais famosa dos Andes, o pisco sour.

A Laguna Tebinquinche é extremamente salgada também. Literalmente uma lagoa de sal. No verão ela está praticamente seca. Porém, no inverno, quando está mais cheia, funciona como um espelho de água. E o por do sol ali é espetacular e cheio de cores.

Laguna Cejar

Laguna Tebinquinche no verão, praticamente seca – esse branco é o sal (Foto: Natalia Maimoni)

Dicas Importantes

1 – Os passeios foram feitos em março e as temperaturas durante o dia eram bem altas. Mas assim que o sol se põe as temperaturas caem. Nada abusivo, porém, é necessário levar um casaco ou um “corta-vento” para o final do passeio. Para o inverno as temperaturas caem mais drasticamente. Confira nosso artigo O que levar na mala para o Atacama.

2 – Para desfrutar a Laguna vá preparado com roupa de banho por baixo. Assim você não perderá tempo tendo que trocar de roupa quando chegar no local.

3 – Protetor solar é um dos itens mais importantes em todos os passeios. Lembrem-se que, além do calor do verão, estaremos sempre em alta altitude, o que faz com que você se queime mais rápido. Sem contar o excesso de sal.

4 – Água é outro item indispensável para o passeio. Lembrem-se de beber ao menos 2 litros de água por dia para compensar o clima extremamente seco.

5 – Leve um chinelo para poder aproveitar melhor em volta das lagunas. O sal também pode machucar seus pés.

  • CURTA AQUI NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK E RECEBA AS ATUALIZAÇÕES DIÁRIAS DO SITE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *